“Faroeste Caboclo”, com Isis Valverde, promete sexo e muitos tiros

Por Redação Colherada - 8 de abril de 2013
faroeste caboclo

Fabrício Boliveira e Isis Valverde vivem no cinema a tensa paixão narrada por Renato Russo/ Foto: Divulgação

“Faroeste Caboclo”, a longa canção composta por Renato Russo, inspira o roteiro do filme homônimo protagonizado por Isis Valverde. O trailer oficial acaba de ser divulgado, e a primeira impressão é de que a produção faz jus à obra da Legião Urbana: João de Santo Cristo (Fabrício Boliveira) é negro, como na música, a paixão entre ele e Maria Lúcia (Isis Valverde) é arrebatadora e o clima é tenso em praticamente todas as cenas.

Isis Valverde, quase estreante no cinema, afirmou em várias ocasiões que batalhou pelo papel, pois sempre teve uma ligação afetiva com a música. Já Fabrício tem participações mais frequentes na telona — atuou em “Tropa de elite 2” e “400 contra 1 – A história do Comando Vermelho” –, e estrelou a série “Subúrbia”, de Luiz Fernando Carvalho. O longa também marca o último trabalho do ator e diretor Marcos Paulo, morto em 2012, no cinema. Ele interpreta o pai de Maria Lúcia, um senador.

A violência é garantida no pacote/ Foto: Reprodução

A violência é garantida no pacote/ Foto: Reprodução

“Faroeste Caboclo” é dirigido por René Sampaio, que fez carreira na publicidade. É seu primeiro longa-metragem após o curta “Sinistro” (2000) ter conquistado sete Candangos no Festival de Brasília, cidade onde nasceu.

A trilha é assinada por Philippe Seabra, da Plebe Rude, banda que, ao lado da própria Legião, Capital Inicial e outras, alçou o rock brasiliense ao topo nos anos 80.

Resta saber se o final do filme será trágico como acontece música. A estreia está marcada para o dia 30 de maio.

“QUE PAÍS É ESTE?”

“Faroeste Caboclo”, epopeia de nove minutos e três segundos, foi lançada em 1987. O hit, parte do álbum “Que País É Este?”, ainda hoje é um símbolo do rock nacional. O filme, no entanto, não acompanha todos os 168 versos da canção. Alguns trechos ficaram de fora em nome da fluência da trama. Paulo Lins, autor de “Cidade de Deus”, que inspirou o filme de Fernando Meirelles, escreveu a primeira versão do roteiro. O escritor e ator Michel Melamed colaborou.

Confira o trailer